slideslide

Mensagem sobre o Natal

A Origem vem da celebração do nascimento anual do deus Sol no solstício de inverno (natalis invicti Solis), a festividade foi ressignificada pela Igreja Católica no século III para estimular a conversão dos povos pagãos que estava sob o domínio do Império Romano e então passou a comemorar apartir daí o nascimento de Jesus Cristo! Jesus de Nazaré. A palavra Natal do português vem da palavra natalis do latim, derivada do verbo nascor (nasceris, nasci, natus sum) que tem o sentido de nascer, nascimento de.

Como adjetivo, significa também o local onde ocorreu o nascimento de alguém ou de alguma coisa. Como festa religiosa, o Natal, é comemorado no dia 25 de dezembro desde o Século IV pela Igreja ocidental e desde o século V pela Igreja oriental, celebra o nascimento de Jesus Cristo e assim é o seu significado nas línguas neolatinas. Alguns historiadores localizam a primeira celebração em Roma, no ano 336 d.C, no entanto, há uma possibilidade de que os primeiros registros da celebração do Natal tenha origem anterior, na Turquia, a 25 de Dezembro, já em meados do sec II

O Natal do Senhor, é a solenidade da encanação do verbo de Deus no seio da virgem Maria, é a segunda maior festa do calendário cristão. A primeira como sabemos é a Solenidade da Páscoa do Senhor, onde celebramos o mistério da morte e ressurreição de Nosso Senhor, Jesus Cristo, centralidade da nossa fé.

Durante o tempo do advento a liturgia da palavra nos convocou a conversão como o meio mais seguro e eficaz para a preparação para acolher o mistério do verbo divino em nossa casa interior, nosso coração. Com um coração purificado poderemos vislumbrar a nobreza de simplicidade, o nascimento do salvador, Jesus Cristo, o Deus Conosco. Deus se vez homem, um de nós, para que pudéssemos ter acesso a Ele. Deus se fez gente de maneira muito simples, de forma bastante humilde, singela, inusitado!

Seu nascimento se deu de maneira extraordinária, nasce numa estriaria, numa gruta. Pois não havia lugar para Ele ser acolhido. Será que há lugar nos corações para Ele nos banquetes que se promovem na noite de Natal? Muito não se lembram que a razão da festa é o nascimento de Jesus. Esquecem o essencial, Jesus Cristo.

Deus ao vir mora entre nós, por meio do seu Filho Jesus Cristo, Ele tem o objetivo de nos salvar. Para isso é preciso conhecê-lo, na sua Palavra, nos nossos irmãos e irmãs, na santa eucaristia para termos acesso a Ele.

O Natal é, a festa da humildade. Da ternura e da singeleza de Deus entre nós. Não é a festa da ostentação, do luxo, do poder, do triunfalismo. O luxo e a ostentação não condizem com o verdadeiro sentido do Natal do Senhor. Quem só se preocupa com a festa da casa exterior, preso as aparecias pode celebrar qualquer evento mas não celebrará o verdadeiro sentido do Natal do Senhor.

A luz que veio ao mundo, anunciada pelos profetas. Hoje celebramos o natal do Senhor, o cumprimento da promessa de Deus. Nasceu para nós o salvador, o príncipe da paz, a luz para iluminar as nações, luz das luzes.

As casas, as ruas, as cidades iluminadas pelas luzes natalinas. Tudo muito lindo, mas são sinais da beleza exterior de que estamos vivenciando um tempo especial. Porém, o mais importante é a luz interior que desse sempre resplandecer em nossos corações, na nossa casa interior. E a luz que brilha no Natal, ofusca todas as luzes exteriores, é a luz de Cristo Jesus, é a luz eterna, a luz de Deus. A luz que ilumina as nações!

Ao acolher esta luz em nossas vidas, nós nos tornamos também filhos de Deus. Renascemos do próprio Deus. Por meio do seu filho. “A palavra se fez carne e habitou entre nós”, se concretizou em nossa vida.

Destarte, é necessário seguirmos o exemplo de são João Batista. Anunciar Jesus Cristo ao muito inteiro, com foz forte que emana do testemunho da vivencia da palavra de Deus. Recebemos essa graça infinita de Deus, que foi conhecê-lo por meio do seu Divino Filho. Nossa missão, portanto, é evangelizar em todos os lugares com palavras e testemunho.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ADAM, A. O ano litúrgico. São Paulo: Paulinas, 1983. ALDAZÁBAL, J. A eucaristia. Petrópolis: Vozes, 2009.

HOLANDA, R. N. Palavras: origens e curiosidades. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2010.

“ADVENTO – Liturgia e espiritualidade”. Franciscanos. Consultado em 22 de outubro de 2012. Arquivado do original em 3 de março 2016.

Tecnologia do Google TradutorTradutor